Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \14\UTC 2015

E mais um de 2011…. 

10941014_803968109670323_5323567223061870798_n

É engraçado como os caminhos se constroem.
Alguns passos nossos, vários passos da própria vida.
Algumas escolhas próprias. Algumas.
Mudanças óbvias. Algumas.
E trilhamos assim: sorrindo e chorando,
dobrando esquinas, tentando seguir.

Admiro mais o sorriso leve do que a lágrima doída.
Me acostumei com o céu  cinza das minhas tempestades
Acostumei de tal forma,
que o cinza já me atrai como belo
e as chuvas que antes temia,
nem mais as percebo.
As gotas geladas que insistem em cair
tornam-se verão na minha inquietude,
Nem sinto, tanto faz.

E no auge da angústia,
da saudade, do grito dentro de mim,
do arrependimento que rasga a alma,
da acidez que intrínseca se faz viva,
me resta a luta.
Resta a luta pra os que são lutadores
Resta o sonho para os
que vivem seus amores
O alento do que se quer.

Resta o amor que explode em minhas mãos,
que segura, que faz seguir.
Prefiro a guerra que vivo, em busca da paz,
prefiro a angustia de uma alma de verdade
Pois só em meio às lutas, encontro o impossível
Só gritando meu amor, entendo meu motivo

Só caminhando contra a multidão,
reconheço a hipocrisia,
e fujo como que num desespero involuntário
de tudo que não seja verdadeiro.
Porque quando se experimenta a verdade
Quando se vive o amor,
quando se luta pelo azul do céu,
aí se entende quanto vale um sorriso.
Sorriso guerreiro. Sorriso de vida.

Van Lima

Anúncios

Read Full Post »

Eu tenho mania de escrever, tenho a petulância de achar que posso, e tenho a necessidade de derramar minha alma assim, em linhas e palavras….
Em 2011, tanto tempo já, e essas letras saltam diante de mim, como que num grito que a vida repete, como se fosse pra ser exatamente assim!

IMG_4221

Quando eu penso em circunstâncias, em experiências, na vida.. sempre me vem à mente José Ortega Y Gasset… o autor da frase título do post, um espanhol que eu gosto muito de ler.

Ele fala que não sao as circunstâncias que decidem a nossa vida. E eu concordo plenamente, totalmente, rs. Se fossem as circunstâncias, confesso que não estaria aqui agora, e muito menos estaria com esse sorriso que não sai do meu rosto. Meu sorriso, minha vida, minha alegria e meu bom humor são o que eu chamo de “acircunstancial”, rs.

Ortega y Garret diz assim:

A nossa vida, como repertório de possibilidades, é magnífica, exuberante, superior a todas as históricamente conhecidas. Mas assim como o seu formato é maior, transbordou todos os caminhos, princípios, normas e ideais legados pela tradição. É mais vida que todas as vidas, e por isso mesmo mais problemática. Não pode orientar-se no pretérito. Tem de inventar o seu próprio destino.”

Dá pra entender porque eu curto demais esse filósofo né? Eu me identifico demais com isso. Minha vida é um enredo… nao, nao de escola de samba nao, é de novela das oito. As coisas vao acontecendo, e eu vou me adaptando às circunstâncias, mas sempre, sempre de uma forma que fico acima delas.
Viver de acordo com o que te acontece é fatal. É triste. É deprimente. Ainda mais em meio ao problemas que enfrentamos hoje em dia… A vida corrida, a falta de dinheiro, as traições, as mentiras, os tropeços… viver em função disso dá rugas, rs.

E eu tenho poucas…. rs. poucas rugas. Rugas do tempo em que eu vivi em função do que me cercava. O bom é que a gente aprende. Nossas experiências (jeito bonitinho de falar “nossos erros”) nos ensinam e nos moldam. O bom é vc conseguir chegar aos 30, sendo “acircunstancial”.
Ah, e né? Viver acima das circunstâncias nao significa que eu não choro, nao vivo,nao amo, nao odeio. Sim. Tudo isso, e olha, de forma bem, bem, bem intensa. Sou exatamente o que Martha Medeiros fala em “Pedaços de Mim”. A diferença é que apesar da intensidade da vida e de eu sentir muito tudo o que me cerca, eu nao vivo em função disso. Estou aqui “toda ferrada”, com problemas imensos pra resolver, e resolvi escrever esse texto porque eu me surpreendi cantando, rindo e feliz, apesar de todos os pesares….

Abraços

Van

 

 

Read Full Post »

Desabafo, alma, eu! De 2012!!

A vida é breve, é rasteira, é rapida…
Ela te testa cada vez que você diz que “não aguenta mais”, ou que “está no limite”… e ela te ensina a sorrir quando você finalmente percebe que o essencial está no simples, no pequeno… quando você entende que aquilo que existe de mais rico é exatamente o que não tem preço.

A vida te ferra, mas ao mesmo tempo, te mostra que quando você é verdadeiro, amigos e oportunidades aparecem no momento exato, por mais que tua impaciência te faça excomungar gerações e gerações.

A vida te mostra que o amor está onde você não imagina, e que o verdadeiro amor além de ser raro, é pesado, é profundo e é leve ao mesmo tempo. É um amor que suporta, que perdoa, que releva e que deixa a vida mais intensa, em todos os sentidos.

E com o tempo, você vai aprendendo, de leve ou com “bordoadas”, essas coisas… E isso te faz crescer de um jeito “indizível”, que só você consegue sentir quando se olha no espelho e vê as marcas da vida no seu rosto e no seu coração… quando você deita a noite e sente o alívio e a vitória de mais um dia vencido. Quando você, do nada, sente a maozinha de uma criança, pela qual você vive, te acariciando o rosto.

E enfim, você chega a conclusão de que nao sabe é de nada, e que precisa estar sorrindo e em pé para aquilo que a vida, com a brisa do mar ou a tormenta do deserto, ainda vai te ensinar…

 

Van Lima

Read Full Post »

Artigo de 2013, publicado no portal VRNews.… mais um que não estava registrado por aqui….

IMG_4092

O scrapbook, de forma geral, tem como “foco” a confecção de álbuns e trabalhos diversos que, de forma única, pessoal e artesanal, guarde momentos, sentimentos, lugares e memórias. E para isso, contamos com uma infinidade de itens: fotos, tickets, bilhetes, embalagens, etc, não é? E temos algo importantíssimo, que chamamos de “journaling”. “Journaling é a forma de registrarmos, através de títulos, textos, notas, poemas, etc, o que a foto e o trabalho querem dizer.

Eu, particularmente, defendo muito esse “ponto”, a expressão escrita, de qualquer forma que seja. Entendo que ao escrevermos, deixamos nossos sentimentos, nossa alma, nosso coração ali, nos papéis. E isso nos libera, nos deixa mais leves e nos ensina de diversas maneiras. E o scrapbook é um ótimo exercício de expressão! Por que exercício? Porque a grande maioria das pessoas tem uma dificuldade enorme de expressar sentimentos através da escrita. Ou mesmo de contar histórias, relatar momentos, etc. Essa dificuldade existe por muitos motivos, e entre eles, a falta de incentivo, de vontade e de perceber os benefícios que podemos ter.

1 (15)

Garanto que vale a pena tentar! E minha sugestão é experimentar. Começando com uma música, um poema, uma citação. Relatar algum momento da infância, sem se preocupar com “beleza gramatical”, apenas passando a memória para o papel. E aos poucos escrever se torna fundamental, necessário. E é muito gratificante ver e ler a liberdade que adquirimos e a leveza que ganhamos através das letras.

Read Full Post »

Esse foi mais um artigo postado na Coluna VrNews, que eu nem tinha colocado aqui no blog, pelo que parece, rs…

Estudos e mais estudos demonstram e comprovam a importância que a arte tem, principalmente se estimulada desde cedo. Crianças desenvolvem de maneira significativa diversos aspectos, desde uma simples expressão ou coordenação motora, até o lado mais incrível da criatividade.

A criatividade “nasce” conosco, mas com a rotina coberta de atividades exaustivas e o próprio receio com “sujeira, tinta e bagunça”, acabamos adormecendo esse aspecto fundamental, que acaba nos fazendo falta, mesmo que não percebamos. Estudos atuais dizem que crianças que conhecem a arte desde cedo, se tornam adultos mais cooperativos, altruístas, criativos e desenvoltos. E aqui, nesse ponto, quero inserir  o scrapbook. Uma arte assimétrica, livre e que faz uma diferença enorme na vida dos pequenos.
47-IMG_1867

Tenho estudado muito sobre todas essas facetas que o scrapbooking tem, e cada vez mais me apaixono e tenho convicção da importância da arte como um todo. Dando aula para crianças ainda pequenas, eu vejo o desenvolvimento pedagógico, como a noção de espaço, coordenação motora fina, concentração, expressão, e claro, a criatividade. Crianças com deficit de atenção, com o tempo, mostram mais evolução ainda, é lindo de ver!

E as crianças, aos poucos, se tornaram foco de um trabalho que acredito e defendo. Eu, como mãe e professora, afirmo que a arte como um todo deveria ter uma importância muito maior nas escolas e nas famílias. A mesma importância que tem as aulas de inglês, balet ou natação. Deixamos que nossas rotinas tomem conta da gente com atividades secundárias, e na hora de estimularmos o cérebro criativo de filhos e alunos, ponderamos nosso cansaço e quem sabe até a preguiça da atenção que a arte pede e da “bagunça” que ela faz, e adormecemos algo tão fundamental!

Estimule suas crianças! Mesmo que com um papel e giz de cera em casa, até aulas de arte com profissionais capacitados… qualquer estímulo é bem vindo! E você despertará um lado que fará uma grande diferença na vida deles, e na sua também!WP_000016

Read Full Post »

 Fazia tempo que eu não “passeava” pelo blog… E quanta coisa tem por aqui, né? Textos, artigos, desabafos, muita história!
Me perdi relendo textos, cada um deles… e tem tanta coisa registrada que eu mesma já nem lembrava mais…  foi tão bom ter trazido de volta à memória tudo que já passou por aqui, que resolvi postar novamente algumas publicações, desde artigos à desabafos, pra compartilhar com vocês a história desse cantinho!! 
Esse artigo foi publicado no Portal VRNews, ainda em 2013… a coluna foi um desafio pra mim, e um dos textos publicados foi esse: 

 

 

Aí lá no começo de 2005, quando eu ainda trabalhava como agente de viagens, minha diretora retornou de uma viagem para Orlando toda animada, me chamou em sua sala e disse: “Van, eu conheci um negócio que é a sua cara, olha isso!” E me mostrou um kit com um álbum, folhas, adesivos, recortes e letras para ser montado! Eu me encantei, e morri de curiosidade e de vontade de saber o que, afinal, era aquilo!
Pesquisei, procurei, perguntei. Fui atrás. Eram pouquíssimos sites brasileiros falando sobre o assunto, me lembro apenas de alguns fóruns e páginas internacionais. De lá pra cá já vi e conheci muita coisa. Já comprei material que nunca usei, errei e acertei, já adaptei e tentei muita coisa!! Em pouco tempo o scrap se tornou profissão, me fez descobrir dons, vocação, prazer. Falo muito sobre a arte, adoro dar dicas, mostrar, apresentar, dar aulas e tornar o scrap mais conhecido por aqui.E, como boa “faladeira” que sou, quero registrar aqui algumas dicas e pontos que acho importantes pra quem quer conhecer o scrap, ou mesmo que conhece, mas quer aprender mais!!

– Pesquise, procure inspiração e informações!
São tantos sites e blogs. Tantos vídeos e textos, que fica até difícil a gente escolher o que ler primeiro! Mas aos poucos, um artigo aqui, um blog com dicas ali, vamos nos familiarizando com os termos, conhecendo as ferramentas e nos inspirando!

– Faça um curso, assim que possível!
Você pode até pensar que, com tanta informação na internet, curso presencial é quase desnecessário. Não é não. Fazer um curso, ter contato com as ferramentas e informações básicas, conversar, trocar informações é fundamental! Ainda mais com uma arte tão abrangente e com uma infinidade de opções e ofertas por aí! Sem contar que é muito especial esse processo de descoberta, de novidade, de aprendizado. Eu adoro e sempre que posso, viro aluna.

– Comece com o material básico!
Base de corte, tesoura, régua de metal, estilete, fita dupla face, fita banana, cola acid free. Sempre digo que começar investindo no material básico evita compras por impulso e arrependimentos (rs)! São tantos furadores, flores, fitas, cortadores, carimbos, carimbeiras e enfim.. tanta coisa, que a gente se perde e tem vontade de comprar o mundo todo. Calma! Não precisa. Com o tempo, com os cursos, e conforme você for aprendendo coisas novas, adquira as ferramentas que precisa e deseja!

Foto: Divulgação.
– Exercite sua criatividade!
Entrar na internet e ver os Layouts e trabalhos de scrappers conhecidas é inspirador, mas pode ser frustrante também. Tenha calma e paciência com você mesma(o). Nossa criatividade precisa ser exercitada, de forma livre e leve, sem pressão. Não exija excelência, cuide com a auto-crítica, permita-se errar e acertar. As scrappers inspiradoras que nos encantam, praticam o scrapbooking à bastante tempo, e levam horas (e quem sabe dias?) na criação de obras de arte que impressionam! Então, nao se fruste, se permita.– Revele suas fotos, escreva suas histórias, registre suas memórias!
O número de fotos que tiramos aumentou enormemente. Mas ficam todas ali, guardadas em pastas e pendrives. O scrap traz esse “resgate” do tempo em que as fotos eram parte importantíssima em nossas casas, em nossas mãos, em nossas memórias. Quando escrevíamos atrás, relatando cada momento, não era assim? Pois revele, tenha fotos em mãos e use-as! E claro, escreva. Como eu disse na coluna anterior, escrever é a base para a criatividade. É tão importante quanto os papéis, fotos e cores. Faz parte, é intrínseco. Exercite, relate, registre. Coloque no papel tuas emoções. E de novo, obviamente, não se frustre com as dificuldades iniciais. É tudo questão de treino. E vale a pena!

Foto: Divulgação.
– E enfim, experimente ser livre!
E aqui o resumo do que eu entendo como scrapbook. Liberdade. Liberdade de expressar, de escolher minhas cores, de recortar meus papéis. Liberdade de chorar quando eu tiver vontade, e de rir também. Liberdade de esquecer meus problemas enquanto “distresso” um papel. De ter meu tempo, meu mundo particular. Liberdade de conhecer pessoas com a mesma paixão, de aprender, reaprender e me encantar. De terminar uma página ou um álbum e me sentir orgulhosíssima(o) com o que eu fiz. Liberdade de ser única(o) e produzir uma arte única e minha, eternizando o que julgo ser inesquecível!! 

Bom scrap!

Read Full Post »

Esse ano tem sido surpreendentemente lindo!
2014 terminou com uma sensação ruim de muita frustração, mas 2015 veio mostrar que tudo, sempre, tem um motivo e uma razão!WP_001537

A Casa Amarela está cheia de novo! Depois de passar um ano longe da minha melhor parceira, minha mãe está de volta, e comigo, deixando cada cantinho com um carinho que é só dela e faz toda a diferença!
408916_269936766406796_156592919_n
O Atelier Doce Papel segue firme, forte e cheio de energia: cursos da Toke e Crie, horários especiais e calendário mensal, materiais exclusivos e aquele carinho de sempre!

DSC_0819

DSC_0779

10301449_652445908211495_2800544295908009473_n

A Espaço Confortável também deixou um pouco mais de charme pra Casa! Estamos com peças lindas à venda, que decoram, encantam e apaixonam.

20154

Kelly Oliveira já trouxe quase a mudança toda pra cá! Começamos a oferecer cursos exclusivos a partir de março, além de peças prontas e encomendas: caixas, kits maternidade, porta retratos, quadros, peças para decoração, etc, de um tudo feito com exclusividade e muito talento!

20153
DSC_0838
E ainda tem a Adriana… que está mudando no estilo “formiguinha”… outra artesã apaixonada e talentosa! Ela vai trazer pra Casa muito tecido, patch, velas, cursos, peças prontas e encomendas!

Tudo isso acontecendo já, tudo isso se encaixando sem nem percebermos, tudo isso de um jeito leve, como se já tivesse sido programado pela vida e ensaiado por nossas almas!

Vem!!!

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: